• Facebook: ifscjaraguagw
  • Twitter: ifsc

 agendaDirecao

 icone docentes horarios atividades

ouvidoria

Lançado programa Aprendizagem Profissional no IFSC PDF Imprimir E-mail
Qua, 30 de Agosto de 2017 18:05

Em evento realizado nesta semana (23 e 24), o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) lançou o programa “Aprendizagem Profissional no IFSC”, seguido de capacitação para coordenadores de cursos técnicos, chefes de departamentos de ensino, pesquisa e extensão e coordenadores de setores ligados à inserção dos estudantes no mundo trabalho (como setores de estágio) dos câmpus. Com isso, o IFSC se adequa à Lei de Aprendizagem e se torna uma das entidades qualificadoras aptas a mediar a inserção do estudante na vida profissional.

 

O programa é formado pelo tripé aprendiz (estudante), empresas cadastradas e entidades qualificadoras. O IFSC foi o segundo da rede a se qualificar, atrás apenas do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN). Os estudantes com intenção de participar do programa, destinado a jovens de 14 a 24 anos, devem providenciar sua carteira de trabalho. Os câmpus do IFSC devem inscrever seus cursos na plataforma Juventude Web, do Ministério do Trabalho e Emprego, até 12 de setembro. Cada câmpus já possui login e senha para realizar o cadastro.

 

Na abertura do evento, organizado pela Diretoria de Assuntos Estudantis (DAE), a reitora do IFSC, Maria Clara Kaschny Schneider, destacou o programa como fundamental para a formação dos estudantes. “Acredito que todas essas oportunidades que surgirão serão muito importantes, não apenas para a inserção no mundo do trabalho, mas para a formação. Em tempo mais complexos como os de hoje, em relação ao desemprego, por exemplo, essa é mais uma forma conseguir atender às necessidades e demandas dos nossos jovens”, destaca.

 

A reitora reforça que em muitos países, principalmente os desenvolvidos, há uma forte ligação da aprendizagem, da educação profissional, com o mundo do trabalho e a inserção em empresas e indústrias. No entanto, Maria Clara afirma que é necessário encontrar um jeito próprio do país. “É claro que não vamos aqui copiar modelos, pois a nossa cultura e a nossa forma de atuar na educação são diferentes. Mas é necessário que encontremos um modelo para que o Brasil possa ter mais proximidade com a realidade profissional”, finaliza.

 

Clique aqui e saiba mais sobre o lançamento.